Caderno de Questões - ARQUITETURA - Teoria e História da Arquitetura, Patrimônio Histórico - Questões Resolvidas e Comentadas de Concursos (2012 - 2015) - 1º Volume

Caderno de Questões - ARQUITETURA - Teoria e História da Arquitetura, Patrimônio Histórico - Questões Resolvidas e Comentadas de Concursos (2012 - 2015) - 1º Volume

Fabricante: Didática Editorial
Modelo: THAPH.01
Disponibilidade: Em Estoque
Preço: R$ 59,90
Qtd:  

Especificação

Livros
Nº de Páginas 176
Formato do Papel A5 - 14,8x21 cm
Capa Colorida
Conteúdo Preto e Branco
Encadernação Brochura

ESTE CADERNO DE QUESTÕES, EM TAMANHO A5, AGREGA QUESTÕES RESOLVIDAS E COMENTADAS DE TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA, PATRIMÔNIO HISTÓRICO, DE CONCURSOS DE ARQUITETURA, DOS ANOS DE 2012 A 2015. 

NÃO REPETIMOS QUESTÕES RESOLVIDAS E COMENTADAS DE OUTROS MATERIAIS ANTERIORMENTE ELABORADOS. AS QUESTÕES QUE INTEGRAM ESTE MATERIAL NÃO CONSTAM NOS VOLUMES 1,2,3 E 4 DE ARQUITETURA.

Este material tem por objetivo servir de apoio para aqueles que prestam concursos públicos na área de Arquitetura. São 136 questões resolvidas e comentadas (TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA, PATRIMÔNIO HISTÓRICO), com o propósito de fazer com que o leitor entenda de forma clara e objetiva o assunto. Tendo em conta a dificuldade de encontrar material disponível na área e a extensa lista de conteúdos exigida para os concursos, a intenção é que através deste material, o leitor consiga aprofundar conceitos, entrar em contato com o que está sendo exigido e se preparar para as provas escolhidas.


DADOS DA OBRA

ELABORAÇÃO: MARCIO DE FREITAS
COLABORAÇÃO: CELSO MENDES DE ALBUQUERQUE
CAPA: ADRIANO AMADEU


QUESTÕES DE TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA, PATRIMÔNIO HISTÓRICO DAS PROVAS: 

AMAZUL - CETRO - 2015;
FUB - CESPE - 2015;
IF-PA - IF-PA - 2015;
MP-ENAP - CESPE - 2015;
PREF.HIDROESTANCIA-POA - VUNESP - 2015;
PREF.PORTO VELHO - FUNCAB - 2015;
PREF.SJCAMPOS - VUNESP - 2015;
SCPAR- PORTO IMBITUBA - FEPESE - 2015;
TJ-BA - FGV - 2015;
UFGD - UFGD - 2015;
UFRN - COMPERVE - 2015;
UNCISAL - COPEVE - 2015.
 
ALBA - FGV - 2014;
EMBUR - FUNCAB - 2014;
IPHAN - IADES - 2014;
IPSE-MG_IBFC_2014
PREF. SÃO JOSÉ - FEPESE - 2014;
SEAP - VUNESP - 2014;
SUDECAP - FUMARC - 2014;
TJ-PA - VUNESP - 2014;
TRF-1 - FCC - 2014;
TRF-5 - SUSTENTE - 2014;
TRT-6 - SUSTENTE - 2014;
UEAP - UFG - 2014.
 
CONDER - FGV - 2013;
DPE-RS - FCC - 2013;
FHEMIG - FCC - 2013;
INPI - CESPE - 2013;
MPE-PR - ESPP - 2013;
MP-MS - FGV - 2013;
MPU - CESPE - 2013;
POL.CIVIL-MG - FUMARC - 2013;
SISEMA - FUNCAB - 2013;
SUDENE - FGV - 2013;
TRT-5 - FCC - 2013;
TRT-8 - CESPE - 2013.
 
BASA - CESPE - 2012;
CEF - CESGRANRIO - 2012;
CEMIG - FUNDEP - 2012;
MPE-AP - FCC - 2012;
MPE-MA - FADESP - 2012;
PREF.SÃO PAULO - VUNESP - 2012;
SPTRANS - VUNESP - 2012;
TJ-AL - CESPE - 2012;
TJ-RO - CESPE - 2012;
TRE-MS - TRE-MS - 2012;
TRE-RJ - CESPE - 2012;
UFPE - COVEST - 2012.

Segue abaixo a resolução de uma questão para demonstrar como o material foi elaborado:

33.(TRF-5/SUSTENTE/2014) O processo de urbanização, no Brasil, teve início no século XVI com a fundação da Vila de São Vicente, no atual Estado de São Paulo. Os primeiros assentamentos urbanos criados pelos portugueses, no Brasil, caracterizavam-se por:
A) Assentamentos urbanos altamente organizados e com desenho urbano regular.
B) Aproveitar a estrutura urbana indígena já existente.
C) Ter uma administração sempre delegada às ordens religiosas.
D) Extrema precariedade física e institucional e um desenho urbano de caráter orgânico.
E) Um sistema urbano absolutamente ordenado, criando um quadro geral de administração dos territórios urbano e rural.
 
Resolução:
Alternativa A – Incorreta: a atividade arquitetônica no Brasil colonial inicia-se a partir da década de 1530, quando a colonização ganha impulso com a criação das Capitanias Hereditárias (1534) e a fundação das primeiras vilas, como Igaraçu e Olinda, fundadas por Duarte Coelho Pereira, em 1535, e a Vila de São Vicente fundada por Martim Afonso de Sousa, em 1532. O urbanismo colonial no Brasil se caracterizou frequentemente pela adaptação do traçado das ruas, largos e muralhas ao relevo do terreno e posição de edifícios importantes, como conventos e igrejas. No período colonial, as cidades não eram planejadas – surgiam de acordo com as necessidades imediatas (habitação, comércio, segurança etc.) e eram delimitadas (e determinadas) pelos acidentes geográficos de cada região.
Alternativa B – Incorreta: no período colonial, a estrutura urba-na indígena da época era bastante rudimentar. Os colonizadores importaram as correntes estilísticas da Europa à colônia, adap-tando-as às condições materiais e socioeconômicas locais. 
Alternativa C – Incorreta: embora no período colonial a igreja não estivesse relacionada apenas à questão religiosa, ela desem-penhava também um importante papel na sociedade ligado à política, aos costumes e às relações econômicas, ou seja, estava ligada ao poder, à dominação em vários níveis sociais. No entanto, não exercia administração exclusiva de assentamentos urbanos.
Alternativa D – Correta: em torno das igrejas, a cidade ia se desenvolvendo conforme as necessidades cotidianas e aos acidentes geográficos. Como não havia um planejamento, o traçado de ruas, quarteirões e praças era sinuoso, não geométrico, resultando em blocos irregulares e ruas estreitas. Esse modo de ocupar o espaço é designado por “crescimento orgânico”. Um aspecto determinante no urbanismo colonial era a ênfase nas construções de igrejas, conventos e casas de pessoas ricas. No período colonial, a construção das vilas foi orientada sem grandes minúcias em ordenações régias, ainda que Portugal as construísse de forma sistemática. No império, a legislação edilícia teve origem no Regimento das Câmaras Municipais, lei imperial instituída por D. Pedro I, em 1828. No início do século XIX, com a mudança da família real portuguesa para o Rio, paulatinamente a importância da terra nas cidades cresceu e em 1850, foi promulgada a Lei de Terras, Lei N.º 601, que dispôs sobre terras devolutas e terras possuídas a título de sesmaria.
Alternativa E – Incorreta: conforme pode ser visto no comentário da alternativa A, no período colonial o sistema urbano não era absolutamente ordenado, sendo que as cidades formadas eram delimitadas pelos acidentes geográficos de cada região.
Alternativa D é correta.
 
 
 
DOWNLOAD DE MAIS QUESTÕES DEMONSTRATIVAS

 

ÍNDICE

Comentários (0)

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim           Bom

Digite o código da imagem:



Tags:

DIDATICA EDITORIAL - CNPJ 12.834998/0001-09 - Alameda Doutor Carlos de Carvalho, 655, Loja 11 - Centro - 80430-180 - Curitiba/PR - Telefones: (41) 3408-9972 - (41) 9702-0059 TIM - Funcionamento das 9:30 as 18 horas em dias uteis - Lepchak Design

Assine nossa Newsletter